"Na margem do rio piedra eu sentei e chorei.
Conta a lenda que tudo o que cai nas águas deste rio - as folhas, os insectos, as penas das aves - se transforma nas pedras do seu leito. ah, quem me dera que eu pudesse arrancar o coração do meu peito e atira-lo na correnteza, e então não haveria mais dor, nem saudade, nem lembranças.  
Nas margens do rio piedra eu sentei e chorei. O frio de inverno fez com que eu sentisse as lágrimas na face, e elas misturaram-se com as águas geladas que corriam diante de mim.  Em algum lugar este rio junta-se com outro, até que - distante dos meus olhos e coração - Todas estas águas se confundem com o mar. 
Que as minhas lágrimas corram assim para bem longe, para que o meu amor nunca saiba que um dia chorei por ele. Que as minhas lágrimas corram para bem longe; e então eu esquecerei o rio piedra, o mosteiro, a igreja nos Pirenéus, a bruma, os caminhos que percorremos juntos.
Eu esquecerei as estradas, as montanhas e os campos dos meus sonhos -sonhos que eram meus, e que eu não conhecia.
Eu lembro-me do meu instante mágico, daquele momento em que um "sim" ou um "não" podem mudar toda a nossa existência. Parece ter acontecido há tanto tempo e, no entanto, faz apenas uma semana que reencontrei o meu amado e o perdi.
Nas margens do Rio Piedra escrevi esta história.
As mãos ficavam geladas, as pernas entorpecidas, pela posição e eu precisava de parar a todo o instante.
-Procure viver. Lembrar é para os mais velhos- dizia ele.
Talvez o amor nos faça envelhecer antes da hora e nos torne jovens quando a juventude já passou. Mas como não recordar aqueles momentos? Por isso escrevia, para transformar para transformar a riqueza em saudade, a solidão em lembranças. Para que, quando acabasse de contar a mim mesma esta história, a pudesse lançar no Piedra - assim me tinha dito a mulher que me acolheu. Para que então - lembrando as palavras de uma santa - as águas pudessen apagar o que o fogo escreveu.
Todas as histórias de amor são iguais."

Coelho, Paulo "Na Margem do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei"


Mil milhoes, sem conta são as vezes que folheio e leio encantada este livro do meu escritor predileto, Paulo Coelho. Faz algum tempo que quero partilhar ao mundo a minha relação com este livro e por este trecho. Arrepio-me completamente quando me entrego nas entrelinhas "Na Margem do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei".
Boa noite e espero que gostem 

5 comentários

  1. Adorei!



    http://placequotehere.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Lê "Brida" do Paulo Coelho! Eu adoro os livros dele, esse foi o primeiro livro que li dele e amei! :')

    fashion-in-blog.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Também gosto imenso de Paulo Coelho, já li livros dele que me mudaram a maneira de pensar ou alguns pormenores na forma como agia. Releio muitas vezes frases e excertos para reavivar a memória que não posso desistir de mudar aquilo que realmente precisava :p
    Adorei este pedacinho que deixaste aqui!
    Gosto imenso deste teu espaço, passo por aqui sempre mas hoje foi o primeiro dia que me decidi a tornar publica esta minha relaçao com o teu blog :p beijnho

    ResponderEliminar
  4. Ai baby não gosto nada de Paulo Coelho ehheh nada!!! Mas comento pq sei o que é sentir esta identificação absurda e maravilhosa com as palavras de um escritor. beijinho

    ResponderEliminar
  5. Paulo Coelho é genial!

    Love,
    www.chicksinfeathers.co.cc

    ResponderEliminar

Thanks for passing on my blog! ♥

Youtube

Contact